Saúde vai usar tecnologia digital para monitorar a Covid-19 em Ceilândia

0

Inteligência artificial chamada de Ana presta informações e orientações sobre o Coronavírus para a população do Distrito Federal

Por Redação Jornal de Brasília

Além de acompanhar os pacientes testados positivos, o novo módulo do aplicativo por celular “DF Contra o Coronavírus” vai poder monitorar o estado de saúde das pessoas testadas positivo na região administrativa que tem mais de 500 mil habitantes e que hoje é o epicentro da pandemia no Distrito Federal.

Lançado no dia 22 de maio pelo IGESDF, o aplicativo utiliza uma assistente virtual chamada Ana, que presta informações e orientações sobre o Coronavírus para a população do Distrito Federal.

Agora, ao entrar em contato com a Ana, o usuário pode acessar, também, um novo módulo do aplicativo que atende pelo nome de Gabriela e vai monitorar todos os casos de Covid-19 notificados na região, as condições de saúde dessas pessoas, além de interagir com elas e direciona-las para um atendimento personalizado de call center com equipe de saúde coordenada por médicos.

Tanto a Ana quanto a Gabriela se comunicam com os usuários por meio do WhatsApp, pelo número (61) 99819-6599.

Ao entrar em contato com Ana, as pessoas poderão fazer uma auto avaliação de sintomas antes de se dirigirem para uma unidade de saúde ou para o drive-thru de testagens rápidas. Se o caso for considerado de atenção, de acordo com os critérios médicos definidos por especialistas, o atendimento é direcionado para um analista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesta etapa, o usuário poderá relatar melhor a sua situação e, se for o caso, será direcionado para uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua região.

GABRIELA VAI MONITORAR PESSOAS COM A COVID-19
A bot Gabriela vai acompanhar pacientes com quadro compatível da covid-19 nas regiões administrativas do DF. Também pelo WhatsApp, a assistente virtual entrará em contato pelo número informado pelos pacientes e acompanhará por 14 dias a evolução do quadro de saúde daqueles que tiveram diagnóstico de covid-19 e que foram orientados para o isolamento domiciliar.

Neste momento e diante da situação que se encontra, liderando os números de casos no DF, Ceilândia será a primeira cidade a ser monitorada por Gabriela.

A partir dos dados capturados através dos atendimentos feitos pela plataforma e dos monitoramentos para saber como os casos evoluem, as regionais podem adotar estratégias específicas para aquela população.

Para o diretor da DIRAPS, Paulo Ricardo, “a assistente virtual potencializa o trabalho da atenção primária”. De acordo com a sua avaliação, “a Gabriela é um instrumento oficial e essencial, para o combate à pandemia na região”, finalizou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Deixe o seu comentário