Médicos ‘lutam’ para salvar opositor russo após possível envenenamento

0

Líder da oposição russa, Alexei Navalny, encontra-se hospitalizado e em tratamento intensivo

AF
Agência France-Presse
postado em 20/08/2020 13:38 / atualizado em 20/08/2020 13:40
Neste arquivo, foto tirada em 29 de fevereiro de 2020, o líder da oposição russa Alexei Navalny participa de uma marcha em memória do crítico do Kremlin assassinado, Boris Nemtsov, no centro de Moscou. -  (foto: Kirill KUDRYAVTSEV / AFP)
Neste arquivo, foto tirada em 29 de fevereiro de 2020, o líder da oposição russa Alexei Navalny participa de uma marcha em memória do crítico do Kremlin assassinado, Boris Nemtsov, no centro de Moscou. – (foto: Kirill KUDRYAVTSEV / AFP)

Os médicos afirmaram que fazem todo o possível para salvar a vida do líder da oposição Alexei Navalny, internado na UTI de um hospital da Sibéria, vítima de envenenamento nesta quinta-feira (20/8), segundo informações de sua equipe.

Navalny, um dos maiores críticos do Kremlin, viajava de Tomsk, na Sibéria, a Moscou em um avião que precisou fazer um pouso de emergência quando o líder da oposição começou a se sentir mal.

“Os médicos estão fazendo tudo o que podem, eles estão realmente lutando para salvar sua vida”, disse Anatoli Kalinitshenko, vice-diretor do hospital de Omsk, onde o opositor foi internado na Unidade de Terapia Intensiva, com um respirador.

A porta-voz do ativista, Kira Yarmysh, que viajava com ele, disse à rádio Echo Moscou que ele foi vítima de um “envenenamento intencional”.

“Acreditamos que Alexei foi envenenado com algo misturado em seu chá. Essa foi a única coisa que ele bebeu pela manhã”, disse no Twitter.

Segundo ela, Navalny parecia estar “totalmente bem” pela manhã em Tomsk, mas “logo após a decolagem, ele perdeu a consciência”.

Navalny, um advogado de 44 anos cujas postagens sobre a corrupção das elites russas são amplamente acompanhadas nas redes sociais, já foi vítima de vários ataques físicos.

Em 2017, ele sofreu queimaduras em um olho quando indivíduos jogaram um líquido desinfetante em seu rosto.

Em julho de 2019, quando cumpria uma breve pena de prisão, também alegou ter sido “envenenado” com um “material químico desconhecido” e foi transferido para um hospital.

As autoridades afirmaram que se tratou de uma “reação alérgica” e não encontraram “nenhuma substância tóxica” em seu organismo.

Pronta recuperação

O Dr. Anatoli Kalinitshenko especificou que o estado do opositor era “estável” e apontou ser ainda cedo para confirmar se foi um envenenamento.

Por meio de seu porta-voz Dmitri Peskov, o Kremlin desejou a Navalny, “como a qualquer outro cidadão russo”, “uma pronta recuperação”.

Policiais e agentes do Comitê de Investigação, responsável pelos casos criminais mais importantes, chegaram ao hospital de Omsk, disse Kira Yarmysh, acrescentando que recebeu ordens para mostrar seus pertences.

Vyasheslav Gimadi, diretor jurídico da fundação anticorrupção dirigida pelo ativista, afirmou no Twitter que “não há dúvida de que Navalny foi envenenado por sua posição e atividades políticas”.

Gimadi pediu a abertura de uma investigação pela tentativa de homicídio de uma pessoa pública.

Navalny estava em Tomsk a trabalho, acrescentou Yarmysh à rádio Echo Moscou.

Uma testemunha enviou pelas redes sociais uma foto de Navalny bebendo em um copo de plástico em um café do aeroporto e a rede de TV Ren divulgou um vídeo mostrando o advogado sendo transferido em uma maca para uma ambulância.

Navalny viaja atualmente por toda a Rússia para promover sua estratégia para as eleições regionais a serem realizadas em cerca de 30 regiões em setembro. Ele já esteve em várias cidades para apoiar candidatos da oposição.

“O partido no poder tem muito dinheiro, só podemos contar com a ajuda de pessoas boas e honestas”, declarou ele no Instagram nesta quarta-feira, junto com uma foto tirada na rua com jovens de Tomsk.

Navalny e seu Fundo de Combate à Corrupção (FBK), criado em 2012, são constantemente perseguidos pelas autoridades e enfrentam multas e buscas repetidas. Seus seguidores são frequentemente detidos.

Outros envenenamentos

Nos últimos anos, vários adversários do Kremlin foram envenenados, na Rússia ou no exterior.

Em março de 2018, um ex-agente duplo e sua filha, Serguei e Yulia Skripal, foram encontrados inconscientes em um banco em uma pequena cidade no sul da Inglaterra.

Londres acusou Moscou de estar por trás de um envenenamento com Novichok, um poderoso agente nervoso fabricado na era soviética, acusações que o Kremlin negou. Este caso provocou uma crise diplomática.

Em 2006, um ex-agente secreto russo no exílio, Alexander Litvinienko, morreu vítima de polônio-210, uma substância radioativa extremamente tóxica. Londres também acusou Moscou.

Tags

Deixe o seu comentário