Mais 3 investigados da Falso Negativo vão para ala de vulneráveis da Papuda

0

A decisão é da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais, e atinge os custodiados Eduardo Pojo, Jorge Chamon e Ramon Azevedo

Operação Falso Negativo1
Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou nesta quarta-feira (2/9) que pelo menos três integrantes afastados da alta cúpula da Secretaria de Saúde, presos na operação Falso Negativo, sejam transferidos para a ala de vulneráveis do Complexo Penitenciário da Papuda.

A decisão é da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais, e atinge os custodiados Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, Jorge Antônio Chamon Junior e Ramon Santana Lopes Azevedo.

De acordo com a magistrada, a partir de agora, os investigados por suposto superfaturamento na compra de testes de Covid-19 passarão a ser instalados na Ala G, do Bloco F, da PDF I, “desde que seja descartada a sua contaminação pelo vírus”.

“Com relação à situação carcerária dos investigados Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, Jorge Antônio Chamon Junior e Ramon Santana Lopes Azevedo, verifico que não houve, até este momento, manifestação de suas respectivas defesas perante este Juízo. De qualquer forma, registro que não há o menor indício no sentido de que detenham prerrogativas relativas à alocação em sala de Estado Maior, ou mesmo de Prisão Especial”, diz a magistrada.

Antes da transferência, eles terão que cumprir quarentena, devido à pandemia de coronavírus, no Centro de Detenção Provisória (CDP 2), como ocorre com todos os recém-chegados ao sistema carcerário.

Repercussão

Ainda no documento, Leila Cury afirma que é do conhecimento da Justiça que a operação na qual foi decretada a prisão dos custodiados teve grande repercussão midiática nacional e versa sobre crime de corrupção.

“O que certamente demanda a adoção de providências para resguardo de suas respectivas integridades físicas, mantendo-os separados do restante da população carcerária, com o objetivo de evitar que se tornem vítimas de extorsão ou outros crimes por parte de algum companheiro de cárcere”, escreveu a magistrada na decisão.

Na terça-feira (1º/9), a juíza da Vara de Execuções Penais (VEP) decidiu pela transferência do secretário de Saúde do Distrito Federal afastado, Francisco Araújo, para as alas de estado maior do DF, localizadas no Núcleo de Custódia da Polícia Militar (NCPM), que funciona nas dependências do 19º Batalhão da Polícia Militar, em São Sebastião.

Deixe o seu comentário