Homem ofende médica em frente a hospital de Ceilândia: “Louca, doente”

0

Ceilândia é a região do DF com mais casos e mortes por causa do coronavírus. Mulher falou para o homem entrar e ver a situação dentro do HRC

Um homem bateu boca com uma médica emergencista na porta do Hospital Regional de Ceilândia (HRC). O vídeo que mostra o momento da discussão, que tem até dedo na cara, circula nas redes sociais.

Nas imagens, gravadas nesta semana, o homem critica a mudança no fluxo do pronto-socorro para acolher pacientes com o novo coronavírus. “Agora, é só Covid, só Covid. É lamentável a nossa situação. Os moradores de Ceilândia merecem respeito. E queremos nosso pronto-socorro de volta, para amanhã, para ontem”, disse.

A mulher, então, aparece com equipamento de proteção individual (EPI). A médica que atua no pronto-socorro do HRC chama o homem de “irresponsável” e uma discussão se inicia. “Entra lá para você ver a situação da Covid. Entra lá para você ver, seu irresponsável”, afirmou. Com a negativa do homem, ela esbravejou: “Fora daqui”. “Tira o dedo da minha cara”, respondeu o reclamante.

MAIS SOBRE O ASSUNTO
Medidas restritivas de comércio em Ceilândia por causa do novo coronavírus
DISTRITO FEDERAL
Coronavírus: GDF já fechou 47 comércios de Ceilândia por descumprir medidas
Medidas restritivas de comércio em Ceilândia por causa do novo coronavírus
GRANDE ANGULAR
Coronavírus: GDF não prolongará restrições às atividades em Ceilândia
O homem volta a atenção para a câmera e diz: “Isso aqui, ó, é puxa-saco do secretário de Saúde. Só tá morrendo gente de Covid? Não”. “Hospital de Samambaia não tem pronto-socorro. Por que não levaram para lá? Por que tiraram nosso pronto-socorro do Hospital de Ceilândia?”, questionou.

Por fim, irritado, ele bradou contra a médica: “Vai cuidar da sua vida, louca, doente. Vai se internar. Arruma um psiquiatra para essa mulher aí. Arruma aí. Sua petista. Sai daqui, pão com mortadela. É petista. Prefiro ser Bolsonaro do que uma petista”.

Medidas restritivas de comércio em Ceilândia por causa do novo coronavírus
Aumento do número de casos de coronavírus em Ceilândia assusta governo e comunidadeHugo Barreto/Metrópoles

Homem bate boca com médica no HRC
Homem criticou mudanças no pronto-socorro do Hospital Regional de Ceilândia (HRC)Reprodução

Homem bate boca com médica na porta do HRC
A médica emergencista chamou o homem de irresponsávelReprodução

Homem bate boca com médica na porta do HRC
Por fim, ele brandou: “Sua petista”Reprodução

Hospital Regional de Ceilândia (HRC)
Desde segunda-feira (08/06), duas especialidades do pronto-socorro do HRC foram transferidas para outros hospitais a fim de liberar leitos para pacientes com coronavírusRafaela Felicciano/Metrópoles

Medidas restritivas de comércio em Ceilândia por causa do novo coronavírus
Casos de coronavírus subiram mais de 250% nos últimos 15 dias em CeilândiaHugo Barreto/Metrópoles

Medidas restritivas de comércio em Ceilândia por causa do novo coronavírus
Aumento do número de casos de coronavírus em Ceilândia assusta governo e comunidadeHugo Barreto/Metrópoles

Homem bate boca com médica no HRC
Homem criticou mudanças no pronto-socorro do Hospital Regional de Ceilândia (HRC)Reprodução

1
Confira a discussão:

Ceilândia é a região do Distrito Federal que tem mais infectados pelo novo coronavírus e a cidade com mais mortes provocadas pela Covid-19. Foram diagnosticados com o novo vírus 2.501 moradores, e 58 pessoas que viviam na cidade perderam a vida após a infecção. Os dados são do Painel Covid-19, do Governo do Distrito Federal (GDF), atualizado às 12h desta sexta-feira (12/06).

Desde segunda-feira (08/06), o pronto-socorro ortopédico e de cirurgia geral do HRC foi transferido para o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

Os leitos dessas duas especialidades no HRC passaram a atender apenas pacientes com a Covid-19, situação que deve permanecer por dois meses.

O que diz a Secretaria de Saúde
Em nota, a Secretaria de Saúde do DF disse que as estratégias para o novo fluxo de funcionamento do pronto-socorro do HRC foram baseadas no boletim epidemiológico do DF, que apresenta Ceilândia com mais números de casos para a doença do novo coronavírus.

“As ações visam dinamismo no atendimento da população da região, para diagnóstico e tratamento para a Covid-19”, afirmou. “Sabemos que toda mudança acarreta adaptações e por parte da equipe da Secretaria de Saúde, todas as medidas estão sendo tomadas, com o apoio do HRT e HRSM que estão recebendo os pacientes encaminhados com trauma, com solicitação de parecer da ortopedia e atendimento pré-hospitalar realizado pelo Samu”, pontuou.

Segundo a pasta, “em nenhum momento, o pronto-socorro do Hospital Regional de Ceilândia permaneceu fechado, mas sim em transição desses pacientes para outras unidades”.

A Secretaria de Saúde ainda defendeu os servidores. “Os profissionais da saúde tem desempenhado com brilhantismo o atendimento à população e entregando todos os esforços na luta contra o coronavírus”, ressaltou. “Frisamos o respeito aos nossos profissionais e o comprometimento da SES-DF com a população da Ceilândia”, destacou.

Deixe o seu comentário