Hidroxicloroquina não ajuda quem tem sintomas leves de Covid-19, diz estudo

0

Novo ensaio clínico randomizado com 491 pacientes não hospitalizados mostrou que evolução do quadro fica inalterada mesmo com uso do remédio
comprimidos em fundo azulHAL GATEWOOD/UNSPLASH

ROBERTO WAGNER
roberto.wagner@metropoles.com
16/07/2020 17:06,
ATUALIZADO 16/07/2020 17:06

Cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, publicaram estudo nesta quinta-feira (16/7) na revista Annals of Internal Medicine. Segundo a pesquisa, a hidroxicloroquina não beneficia pacientes com sintomas leves da Covid-19.

Por meio de um ensaio clínico randomizado, eles avaliaram 491 adultos com o novo coronavírus. Durante cinco dias, a metade dos pacientes recebeu tratamento com a hidroxicloroquina, enquanto os outros tomaram placebo.

A análise após duas semanas concluiu que não houve diferença significante na evolução da doença nos dois grupos. Para se ter uma ideia, a taxa de mortalidade foi idêntica: 0,4%.

Cerca de 24% do grupo que recebeu o tratamento com o fármaco tiveram sintomas durante os 14 dias, contra 30% dos que tomaram placebo. No primeiro grupo, apenas 2% precisaram ser hospitalizados, enquanto o segundo grupo foram 3%.

MAIS SOBRE O ASSUNTO
GRANDE ANGULAR
Hospital brasiliense adota tratamento precoce contra o novo coronavírus

JAIR BOLSONARO
Ao anunciar teste de Covid-19, Bolsonaro fala “hidroxicloroquina” 17 vezes
GRANDE ANGULAR
Grupo de 478 médicos do DF elabora protocolo para tratamento precoce da Covid-19
comprimidos em fundo azul
SAÚDE
Cloroquina: estudo é suspenso por aumento de complicação cardíaca
O estudo norte-americano também revelou que 43% daqueles que tomaram hidroxicloroquina tiveram efeitos colaterais, sendo problema gastrointestinal o mais comum. Entre os pacientes que tomaram placebo, 22% disseram ter sentido efeito colateral.

Sem evidência científica
Os pesquisadores da Universidade de Minnesota já haviam publicado outro estudo, em junho, em que mostraram a ineficiência da hidroxicloroquina na prevenção de doenças.

“Em conjunto, não há evidências convincentes de que a hidroxicloroquina possa prevenir a Covid-19 após a infecção ou reduzir a gravidade da doença após o desenvolvimento de sintomas precoces”, disse o autor do estudo, Dr. Caleb Skipper, em comunicado.

Gina Dal Colleto, 97 anos, curada do coronavírus
Gina Dal Colleto, 97 anos, recebeu alta depois de lutar contra dois vírus ao mesmo tempo, em abril: o novo coronavírus e o influenza. A moradora de Santos (SP) passou 11 dias internada REDE D’OR SÃO LUIZ/DIVULGAÇÃO

Paulo Zoghbi, morador do DF curado da Covid-19
Cardíaco, hipertenso e diabético, o servidor público aposentado Paulo Zoghbi ficou 12 dias internado – cinco deles na UTI – até ser liberado pelos médicos. Zoghbi atribui a cura a uma espécie de milagre Arquivo pessoal/Divulgação

Paciente curado do coronavírus: Ricardo Oliveira
Mesmo com estilo de vida saudável, o engenheiro Ricardo Nery Oliveira, 52 anos, precisou ser internado para combater a Covid-19 após sentir falta de ar acompanhada de febre. “Quase me derrubou”, desabafouArquivo pessoal

Reprodução, Facebook
O personal trainer e professor de educação física Caio Quemel, 24 anos, passou três semanas afastado da família, entre a internação e a quarentena cumprida em casa. “Tive medo de morrer”, relatou

Leonardo bebê curado da Covid-19
O bebê Leonardo, nascido na cidade italiana de Corbetta, virou símbolo de esperança após ser curado da Covid-19 no país. Leo ficou internado por 10 diasREPRODUÇÃO/FACEBOOK/

Ermando Armelino Pivita curado da Covid-19
Aos 99 anos, Ermando Armelino Pivita foi o brasiliense mais velho a se recuperar da doença. Ex-combatente, ele foi aplaudido pela equipe do hospital ao ser liberado para voltar para casa RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Gina Dal Colleto, 97 anos, curada do coronavírus
Gina Dal Colleto, 97 anos, recebeu alta depois de lutar contra dois vírus ao mesmo tempo, em abril: o novo coronavírus e o influenza. A moradora de Santos (SP) passou 11 dias internada REDE D’OR SÃO LUIZ/DIVULGAÇÃO

Paulo Zoghbi, morador do DF curado da Covid-19
Cardíaco, hipertenso e diabético, o servidor público aposentado Paulo Zoghbi ficou 12 dias internado – cinco deles na UTI – até ser liberado pelos médicos. Zoghbi atribui a cura a uma espécie de milagre Arquivo pessoal/Divulgação

1

Deixe o seu comentário