Fim de semana com muita música na capital.

0

Fim de semana com muita música na capital.

Jornal de Brasília.

O Grande Encontro se apresenta hoje, às 21h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Foto: Divulgação

Ícaro Andrade
icaro.andrade@jornaldebrasilia.com.br

MPB, rock, pop, música baiana… A programação do brasiliense vem repleta de atrações que incluem gostos e gêneros musicais variados. Quem abre os trabalhos é o trio Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo, que traz de volta a Brasília O Grande Encontro. Amanhã, é a vez de Djavan e seu espetáculo Vidas pra Contar, e de conferir o som eletrônico da baiana Márcia Castro. Para quem gosta da nova safra da música brasileira, os festivais Tenho Mais Discos que Amigos e Sai da Rede também quebram tudo nos palcos da cidade, com estilos variados que vão do rock à nova MPB. Diversão é o que não vai faltar.

Depois de uma emocionante passagem por Brasília em outubro do ano passado, O Grande Encontro está de volta. Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo se apresentam hoje, às 21h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Comemoração aos 20 anos do projeto, o show também celebra os 40 anos de amizade destes artistas nordestinos, além de marcar o lançamento do trabalho gravado ao vivo, que já alcançou DVD de ouro.

“Já cantei em teatros, ginásios e estádios, mas também em locais menores, voltados à população nordestina que vive na capital. O público de Brasília é uma síntese do Brasil, e um dos que mais me contagia”, elogia Alceu.

O novo espetáculo inclui uma sonoridade elétrica e percussiva, trazendo surpresas e muita emoção. No repertório, clássicos como Anunciação, Banho de Cheiro, Bicho de Sete Cabeças, Táxi Lunar, entre tantas outras. O show traz ainda músicas inéditas. Geraldo apresenta uma composição do poeta Abel Silva, a delicada Só Depois de Muito Amor. Alceu é responsável por Ciranda da Traição, cantada pelo trio. E Elba e Alceu dividem o palco para interpretar Flor de Tangerina, tema de Velho Chico.

Ingressos a partir de R$ 80. Informações: (62) 98170-0736. Não recomendado para menores de 18 anos.

Djavaneando

Alagoano Djavan traz seu show Vidas pra Contar, amanhã, às 22h. Foto: Divulgação
Alagoano Djavan traz seu show Vidas pra Contar, amanhã, às 22h. Foto: Divulgação

Quem também se apresenta em Brasília neste fim de semana é o cantor e compositor Djavan. O alagoano volta à capital com Vidas pra Contar – uma comemoração aos 40 anos de carreira do artista. A apresentação traz 24 canções, incluindo sucessos como Linha do Equador, Puro Amor, Não é um Bolero, Encontrar-te e Aridez. O show acontece em novo local, no Auditório Master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, às 22h.

Djavan foi premiado em 2015 com o Grammy Latino de excelência musical em homenagem ao conjunto musical de sua obra. A turnê Vidas pra Contar é sucesso de crítica e de público.

Antes do espetáculo, o público vai poder se deliciar com um pocket show acústico de MPB no foyeur do auditório, às 20h, horário de abertura dos portões.

Ingressos a partir de R$ 80 (meia-entrada). Informações: facebook.com/VivaMPBBrasilia. Não recomendado para menores de 16 anos.

Festivais invadem capital federal

Dando espaço a estilos musicais diferentes e contemplando o que há de melhor na nova música brasileira, a primeira edição do Festival Tenho Mais Discos que Amigos ganha asas e aterrissa na capital amanhã. O evento está marcado para começar às 18h, no Estádio Nacional Mané Garrincha (Eixo Monumental). “É um evento voltado para bandas novas. O momento da música alternativa no Brasil é de muita diversidade e liberdade artística. O festival será uma bela amostra disso”, diz Gustavo Bertoni, vocalista e guitarrista da Scalene.

Brasilienses da Scalene sobem ao palco do Tenho Mais Discos que Amigos, amanhã, no Mané Garrincha. Foto: Divulgação
Brasilienses da Scalene sobem ao palco do Tenho Mais Discos que Amigos, amanhã, no Mané Garrincha. Foto: Divulgação

Na programação também estão BaianaSystem, Supercombo, Braza, Muntchako, Francisco, el Hombre, BRVNKS, Lista de Lily, Alarmes e MDNGHT MDNGHT. A maioria foi listada no site homônimo, que originou o festival, com alguns dos melhores discos de 2015 e 2016. Idealizado por Tony Aiex, o que começou como um blog é hoje um dos principais portais especializados em música no Brasil.

Ingressos a partir de R$ 40. Informações: influenzaproducoes.com. Não recomendado para menores de 16 anos.

Sucessos da internet

Neste fim de semana acontece a segunda parte do festival Sai da Rede, amanhã, às 20h, e domingo, às 19h. Na programação, 13.7, Júlia Vargas, Ana Vilela e Rubel – artistas que também vêm fazendo barulho no País. A proposta inovadora do evento consiste em trazer artistas jovens e talentosos que crescem musicalmente na internet sem que necessariamente precisem de ajuda de gravadora ou mídia. As apresentações ocupam o palco do Teatro I do Centro Cultural Banco do Brasil (Setor de Clubes Esportivos Sul).

O carioca Rubel se apresenta no domingo junto com a paranaense Ana Vilela, que ficou conhecida nas redes sociais com o hit Trem-Bala. Rubel chamou atenção do público com o álbum Pearl. O cantor reforça que a nova MPB vem ganhando espaço nas redes sociais e conquistando cada vez mais público, “inclusive os brasilienses”, que, segundo ele, demonstram sentir falta desse estilo musical. “Esta é a segunda vez que me apresento em Brasília. Percebo que o público daqui é muito ávido. Vi nas pessoas uma vontade imensa de conhecer mais estilos e gêneros musicais. O evento proporciona isso de forma grandiosa”, destaca.

Ingressos: R$ 20. Informações: 3108-7038. Classificação livre.

Baianidade eletrônica

Pensando na necessidade de incorporar, dentro de sua baianidade, uma sonoridade eletrônica, Márcia Castro desembarca hoje no Outro Calaf (Setor Bancário Sul), às 22h, com o aclamado Eletrobailada. O show é resultado de um misto de ritmos tropicais brasileiros, onde música baiana transita em uma perspectiva pop experimental, passando por reggae, samba, carimbó e até funk. Na apresentação, a cantora traz da Bahia o verdadeiro dendê que promete apimentar a noite com muita dança.

“Muito bom poder voltar a Brasília. O público é sempre muito receptivo e eu sempre me sinto em casa. Quem vier curtir a noitada, vai conferir de tudo em um só ritmo, de forma bem animada”, garante Márcia.

A festa tem discotecagem do DJs Jul Pagul, Barata (Criolina), Linda Green e Capoeira SoundSystem. A abertura fica por conta do grupo de mulheres negras Contém Dendê. As intervenções poéticas ficam por conta da poeta Marina Mara.

Ingressos a partir de R$ 30. Mais informações disponíveis em facebook.com/events/719007524931671. Não recomendado para menores de 18 anos.

Deixe o seu comentário