Criança diz que padrasto enfiou colher na garganta do irmão: “Saiu sangue”

0

Depoimento foi colhido do irmão de 5 anos do bebê, em caso em que homem é suspeito de agredir crianças no Paranoá

criançaREPRODUÇÃO
homem suspeito de maltratar três crianças na região do Paranoá, inclusive, com chicote, teria enfiado uma colher na boca de um bebê de 9 meses, enquanto o alimentava. São informações da 6ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso.

O rapaz, de 21 anos, morava com a mãe das crianças. Ele foi preso em flagrante após agredir o nenê, com um chicote. Segundo a Polícia Civil, o homem, identificado como Pedro Paulo de Jesus Ferreira, agredia o três.

A criança de 5 anos foi ouvida em depoimento espacial e ampliou os relatos que configuram os maus-tratos. Descreveu uma situação em que o padrasto “enfiou colher na garganta do irmãozinho (9 meses), enquanto dava comida, que saiu sangue pela boca”, além de outras barbaridades”, de acordo com a delegada Jane Klébia.

 

Por enquanto, e por orientação do conselho tutelar, o bebê está com uma tia. Já o menino de 3 anos se encontra com o pai biológico (que não é pai dos outros). Uma avó afetiva cuida da menina de 5 anos.

O autor das agressões, por outro lado, foi posto em liberdade na audiência de custódia com uso de tornozeleira eletrônica.

Segundo a polícia, moradores do local quebraram parte da casa, como janelas e utensílios, onde a família morava. Além disso, agrediram fisicamente a mãe das crianças, de acordo com relato de testemunhas. Por isso, a mulher entregou a residência, que era de aluguel, e está em local não informado, com medo das agressões.

O caso

Quem denunciou a barbárie foi a avó das crianças. Ela soube do fato por meio da criança de 5 anos, que se recusava a voltar pra casa, temendo as agressões. A própria família deteve o agressor e chamou a polícia.

O bebê tinha uma lesão mais antiga, o que demostra que vinha sendo agredida há mais tempo. O autor foi autuado por tortura e será instaurado inquérito para apurar as agressões contra as outras crianças.

Em depoimento à PCDF, a mãe da criança afirmou que o companheiro colocou o filho para dormir, mas a criança estava muito agitada. Diante da situação, ele acabou pegando um chicote e batendo no menor.

Alegou que o homem não apresenta comportamento agressivo e que “jamais foi vítima de qualquer violência”. Ressaltou que o fato com o seu filho “foi algo meramente ocasional”.

A avó da criança, responsável pela denúncia, alegou que estava com um dos netos e, ao deixar a criança na casa da mãe, a menor teria informado que estava com medo, pois ela e os irmãos eram agredidos com frequência pelo padrasto.

Ao questionar a filha sobre o fato, acabou descobrindo que o homem, de fato, agredia os pequenos com uso de chicote. A mãe das crianças informou para a avó que sabia e acrescentou que a agressão se deu após o almoço porque o bebê não queria dormir.

Deixe o seu comentário