Confiantes, alunos do ensino médio retornam às salas de aula no DF

0

Com a retomada desta fase, após os ensinos fundamental I e II, sindicato diz que aproximadamente 40 mil estudantes estarão em sala no DF

 

Volta às aulas em meio à pandemiaHUGO BARRETO/ METRÓPOLES
Após mais de sete meses sem aulas presenciais por causa da pandemia do novo coronavírus, os alunos do ensino médio das escolas particulares começaram a voltar às salas de aula na manhã desta segunda-feira (26/10), seguindo o calendário estabelecido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 10° Região (TRT-10).

Cerca de 9 mil alunos do ensino médio particular do Distrito Federal devem retornar às aulas presenciais. O levantamento é feito pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (Sinepe-DF), prevendo a volta de 30% dos mais de 28 mil alunos da modalidade às salas de aula.

O cronograma de retorno foi aprovado em 24 de agosto. Por meio de audiência de conciliação virtual, entidades representativas das escolas e dos docentes da rede privada de ensino definiram a volta às aulas, com a educação infantil tendo retornado em 21 de setembro, juntamente com o ensino fundamental I, e o ensino fundamental II, na última segunda-feira (19/10). Sempre de forma opcional.

Álvaro Domingues, presidente do Sinepe-DF, estima que o total de alunos previsto no retorno do ensino médio estará dividido entre cerca de 60 escolas que reabrirão as portas aos discentes dos últimos anos da educação básica.

Segundo ele, são alunos em uma “faixa etária com mais autonomia, podendo não apenas permanecer com ensino a distância como também incorporarem uma etiqueta adulta e responsável na convivência”. Isso deve facilitar na adoção das medidas preventivas contra a propagação da pandemia da Covid-19.

1

“Tranquila”

Ana Luiza Breide, 16 anos, aluna do 2° ano, voltou para a escola presencialmente nesta segunda. “Estou bem tranquila para retornar. A escola nos atendeu bem com o ensino remoto. Mas, voltar ao normal, está sendo muito importante. Se todos nós seguirmos os protocolos direitinho, acho que não teremos maiores problemas”, avaliou a adolescente.

No Galois, na 601 Sul, muitos estudantes foram recebidos nesta manhã. Eles começaram a chegar por volta das 6h40 e formaram filas com distanciamento para aferição das temperaturas e o uso do álcool 70% nos materiais pessoais, cadernos e mochilas.

De acordo com o diretor pedagógico Angel Pietro, o colégio já estava completamente preparado.

“Estamos vivendo uma situação completamente diferente para todo mundo. Desde o início a gente procurou fazer com que os alunos não se prejudicasse em relação a rotina e ao conteúdo. Isso foi sendo sempre prorrogado com os decretos e a volta ao presencial foi preparada já há bastante tempo. Nos adaptamos os protocolos de saúde exigidos e, hoje, chegamos a um ponto já esperado”, afirmou o gestor.

Há rotas traçadas para entrada e saída de alunos, além do intervalo. As carteiras em sala de aula foram reorganizada com 1,5 m de distância umas das outras. Os alunos que optaram por retornar, tiveram que assinar uma declaração e um termo de compromisso para dizer estar ciente das regras e mudanças. Caso desobedeça, será convidado a retornar ao ensino remoto.

“Os alunos que estão em casa acompanharam a rotina da sala de aula normalmente”, garantiu Angel.

Mãe da estudante Catarina Zoehler, 15, do 1° ano, a servidora pública Pollyanna Zoehler, 37, disse que sempre foi a favor do retorno presencial.

“Na minha ideia, se o colégio já tivesse oferecido essa oportunidade, ela já teria retornado. Acredito nos protocolos de segurança, máscara e álcool em gel. Para essa etapa do colégio eu acho muito importante esse dia a dia escolar. Acho que ela perdeu muito no ensino EAD e para uma criança ficar o dia inteiro na frente de um computador é muito desgastante. Os adolescentes precisam dessa rotina. Desse convívio social. Nós não tivemos dúvidas em optar pela volta”, garantiu.

Boa adesão

No Maristão, na 615 Sul, a expectativa é que 30% do ensino médio volte gradualmente às salas. Segundo o orientador pedagógico Ricardo Timm, a escola está preparada para o retorno desde junho. “Era a primeira data prevista. Desde então, aperfeiçoamos as escutas com as famílias de alunos para garantir toda segurança possível”, diz ele.

Timm explica que a unidade de ensino está seguindo fielmente todos os protocolos determinados pela Saúde. “Estamos mantendo número de alunos reduzidos em sala, rodízio entre as turmas e respeitando todas as outras regras de limpeza e uso da máscara”, conta.

Sobre as aulas a distância, o diretor pedagógico confirma que o modelo remoto continua ativo. Porém, após reuniões com os pais, acredita que a adesão ao ensino presencial será satisfatória. “A escola conseguiu transmitir a segurança necessária para uma boa adesão de retorno. Está sendo bem tranquilo”, garantiu.

Deixe o seu comentário