Comer mal aumenta o risco de doenças cardiovasculares, veja como evitar

0

Conheça alguns hábitos alimentares que temos e deveríamos abandonar

Ter bons hábitos alimentares auxiliam a afastar doenças e trazer longevidade

(foto: Vinicius Cardoso Vieira/CB/D.A Press)

Uma dieta equilibrada é essencial para qualidade de vida, ajuda no bom funcionamento do organismo e auxilia na perda de peso. Os bons hábitos alimentares auxiliam a afastar doenças e a trazer longevidade, pois a má alimentação é considerada um fator decisivo no surgimento de doenças crônicas.

A praticidade do dia a dia faz com que o brasileiro consuma alimentos industrializados cada vez mais. O Correio te ajuda a conhecer quais são os hábitos alimentares que muitos têm, mas todos deveriam evitar.

Pular refeições

Um dos erros alimentares mais comuns que prejudicam a saúde e contribuem para o ganho de peso é pular as refeições. A desculpa para tanto quase sempre é a falta de tempo. Mas isso é muito prejudicial à saúde. O intestino de quem pula refeições com muita frequência se adapta para absorver o máximo de nutrientes possível de cada refeição. O restante do corpo passa a economizar energia. Por isso, a necessidade de se ter uma alimentação balanceada e de comer a cada 3 horas ou 4 horas, o que ajuda a controlar a glicemia.

Continua depois da publicidade

Para a nutricionista Patricia Guedes uma alimentação não balanceada prejudica muito o metabolismo. “Sempre procuro lembrar os pacientes de que nós somos os responsáveis pela nossa saúde e pela nossa doença. A vida é feita de equilíbrio. O segredo está em estabelecer uma rotina saudável, reduzindo o número de ‘escapadas’. Quando elas acontecerem que sejam feitas sem culpa, sabendo que você irá voltar para a rotina normal”, completou.

Tomar refrigerantes e bebidas alcoólicas

Os refrigerantes são bebidas ricas em frutose, tipo de açúcar que aumenta o risco de resistência à insulina e diabetes, além de ter ácidos que ajudam a desgastar os esmaltes dos dentes e provocar gases que podem vir com dores abdominais e gastrites. São bebidas ricas em sódio e alguns sabores contêm bastante cafeína, o que pode provocar alterações na pressão arterial e retenção de líquidos.

Já as bebidas alcoólicas são pobres em nutrientes e possuem alto valor calórico. Por exemplo, uma lata de cerveja fornece aproximadamente 150 calorias, praticamente o mesmo do que um pão francês.

A nutricionista Nathália Bandeira indica que os pacientes sempre optem por bebidas como o sucos da fruta sem açúcar, chás, água de coco natural e não exagerem em bebidas alcoólicas. “São bebidas com alto teor de sódio e açúcares. Estes produtos fazem mal para a saúde. A longo prazo elas auxiliam no desenvolvimento de doenças crônicas, sem contar que excesso de álcool é muito prejudicial”, explica.

Comer muito doce

Muitos açúcares e doces são inimigos da alimentação saudável e devem ser consumidos com bastante moderação. Eles são compostos praticamente por carboidratos simples, rapidamente absorvidos pelo organismo.

Esse tipo de alimento tende a alterar a glicemia e a liberar grandes quantidades de insulina, podendo acarretar em diabetes tipo 2. O uso em excesso de açúcar na alimentação aumenta riscos de doenças vasculares, fígado gorduroso e até mesmo de alguns tipos de câncer.

O ideal é evitar o consumo de alimentos com muito açúcar e comer doces moderadamente. A nutricionista Gabriela Soares Batista ressalta que existem opções mais saudáveis nas prateleiras: “No mercado, existem alguns tipos diferentes de açúcar (demerara, mascavo, açúcar de coco) que geram um efeito metabólico mais desejável.”

Comer alimentos processados e embutidos

Comidas industrializadas e embutidas têm em sua composição diversas substâncias químicas que não são reconhecidas pelo nosso organismo. Por isso, elas podem fazer mal ao sistema imunológico e causar alergias.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera as carnes processadas como alimentos cancerígenos desde 2015. A grande maioria dos alimentos que consumimos passam por algum tipo de processamento.

“Alimentos processados e embutidos trazem vários ricos à saúde por serem ricos em conservantes, corantes, aditivos e açúcares. Causam prejuízos diretos à saúde podendo levar a doenças alérgicas, intestinais e até mesmo o câncer”, alerta Nathália Bandeira.

Continua depois da publicidade

Beber pouca água

O pouco consumo de água está entre os maus hábitos alimentares mais comuns. O líquido é essencial para o bom funcionamento do corpo e a desidratação crônica pode causar doenças e envelhecimento precoce. Isso acontece porque o organismo “puxa” água dos órgãos para suprir a falta de líquidos nos tecidos.

Durante um dia se perde aproximadamente dois litros de água por meio de transpiração, urina, respiração e outras atividades. Por isso, a necessidade de repor essa perda e de se manter hidratado durante o dia inteiro.

Gabriela Soares explica que o ideal é não esperar sentir sede para beber água. “A falta de água pode causar várias doenças, fraqueza, cansaço e tontura. Dois litros por dia é uma referência. Para saber a quantidade exata para cada pessoa, calculamos 35ml por quilo do peso. Por exemplo, uma pessoa de 70kg deveria ingerir 2,5 litros”, contabiliza.

Exagerar na quantidade

Ingerir muitos alimentos pode ser um sinal de compulsão alimentar, podendo levar à obesidade e a outros problemas de saúde. Algumas vezes essa compulsão tem como causa estresse ou depressão. Nesses casos, há necessidade de um tratamento médico.

O estômago pode se acostumar com o grande volume de comida, o que é prejudicial. Vale ressaltar que cada pessoa tem uma quantidade adequada de alimentação por dia. A nutricionista Patricia Guedes explica: “Não existe quantidade ideal de comida. Cada pessoa deve ser analisada de forma individual, considerando patologias existentes, exames bioquímicos, resposta metabólica, nível de atividade física, rotina, hábitos alimentares, etc…Tudo isso faz com que a quantidade de alimentos varie de pessoa para pessoa.”

* Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader

Deixe o seu comentário