Ceilândia e Samambaia recebem projeto que reúne poetas e artistas do DF

0

Ceilândia e Samambaia recebem até fevereiro o projeto Romaria Poética, que reúne artistas da região e de outras partes do DF para levar cultura a espaços públicos como feiras e escolas.

RR Robson G. Rodrigues*

Chico Repentista:

Chico Repentista: “Artistas de Ceilândia e de Samambaia sempre andam juntos. Conheço gente que é do hip-hop, do mamulengo, do forró, do rock”
(foto: Davi Mello/Divulgação)

A caminhada da poesia por Ceilândia e Samambaia será longa. A Romaria Poética começa no próximo sábado e só acaba em fevereiro do ano que vem. Não tem destino final: o objetivo está na própria perambulação pelas cidades vizinhas carregando cultura popular nordestina na bagagem e distribuindo energia nas áreas públicas por onde passa.

Na agenda estão oito apresentações em praças, feiras e escolas. “Optamos por lugares em que muita gente transita, porque, como diz a música: o artista tem de ir aonde o público está”, conta a coordenadora do projeto, poeta e moradora de Ceilândia, Margô Oliveira, 55 anos.

“Privilegiamos espaços em que a população é mais carente, onde as pessoas enfrentam mais dificuldade para ter acesso a atividades culturais e entretenimento”, conta a artista, que também é atração do projeto com o grupo musical Taleta de Bambu. O grupo faz uma viagem nos sons do coco, do maculelê e do bumba meu boi, enquanto Margô faz a parte poética, com declamações e canções.
Além de Taleta de Bambu, se apresentam um poeta de cada região e um convidado do Distrito Federal ou de fora. Presença confirmada em todos os dias de Romaria Poética, Chico Repentista vai dar uma folga ao repente com que trabalha há 36 anos. “Vou declamar tanto meus próprios versos quanto dos companheiros. Tem poema matuto, poema de cunho político — mas sem ser partidário, e sim social —, de futebol, tem de tudo, todos com a mesma estrutura das cantorias e dos repentes, em redondilha maior ou decassílabos”, diz o potiguar.
Continua depois da publicidade

Chico Repentista mora em Ceilândia há quase 30 anos e conta que todos os segmentos profissionais de sua vida envolvem a região. Ele está sempre próximo de artistas de diversos gêneros no DF, mas acredita ter contato especial com os colegas de Samambaia. “Artistas de Ceilândia e de Samambaia sempre andam juntos. Conheço gente que é do hip-hop, do mamulengo, do forró, do rock”, destaca.

Domício Chaves:
Domício Chaves: “Existe uma conexão muito boa entre as cidades”
(foto: Davi Mello/Divulgação )
Domício Chaves está ao lado de Chico na agenda do Romaria. Morador de Samambaia, o poeta reforça a colaboração que existe entre os artistas de ambas as partes. “Uma região administrativa convida a outra e estamos frequentemente trabalhando juntos. Existe uma conexão muito boa”, acredita o cearense. “É mais um instrumento de união entre Ceilândia e Samambaia”, completa.

Vida urbana
“Tudo o que faço em Samambaia é em prol da arte e da educação. Além de ser um artista na região, sou um ativista, coordeno vários projetos na região ajudando a divulgar cultura para os moradores”, diz o poeta, que vive há 23 anos em Samambaia. Para o Romaria, ele preparou 10 poemas autorais que serão declamados acompanhados por gaita e violão de seu convidado Hamilton Zen. “Considero minha poesia existencialista. É um olhar sobre o dia a dia, sobra a vida urbana, sobre amor, sobre a solidão”, explica.

“Desde que enveredei para o lado do teatro, comecei a militar no cenário cultural local. Sempre cultivei expectativa de fazer algo envolvendo poesia. Embora a poesia tenha ganhado um pouco mais de espaço, com o aumento de coletivos de sarau, ainda é uma arte muito esquecida, pouco divulgada, e os artistas têm grande dificuldade para lançarem seus livros”, completa Margô Oliveira.

“Privilegiamos espaços em que a população é mais carente, onde as pessoas enfrentam mais dificuldade para ter acesso a atividades culturais e entretenimento,” diz Margô Oliveira, poeta
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press )

Serviço
Romaria Poética. Várias datas. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Programação completa
» 17 de novembro, sábado, às 10h30
Sede Voluntária da Economia Solidária (Condomínio Gênesis, cj. V, cs 8, Chácara 5, Sol Nascente, Ceilândia)
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista, Cumpadi Ancelmo e Cacá Poeta.
Música: Taleta de Bambu.

» 24 de novembro, sábado, 10h30
Instituto Social Embalando Sonhos (Qr 629 cj. 4 Chácara 1, Samambaia Norte)
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista, Carlos Araújo e Cacá Poeta
Música: Taleta de Bambu.

» 8 de dezembro, sábado, 10h30
Feira Central de Ceilândia
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Paulo Matricó.
Música: Taleta de Bambu.

Continua depois da publicidade

» 9 de dezembro, domingo, 16h
Piquenique com Arte – Parque Três Meninas (QR 611, Samambaia Norte)
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Paulo Matricó.
Música: Taleta de Bambu.

» 19 de janeiro, sábado, 10h30
Feira da 210 (QN210, Samambaia Norte)
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Vincente Sá
Música: Taleta de Bambu.

» 26 de janeiro, sábado, 10h30
Sol Nascente, Ceilândia
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Lília Diniz
Música com Taleta de Bambu.

» 23 de fevereiro, sábado, 10h30
Feira do P. Sul, Ceilândia
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Donne Pitalurgh
Música: Taleta de Bambu.

» 24 de fevereiro, domingo, 10h30
ONG Grupo Tático Mirim Ambiental (QR 433, antigo Terminal 01 Norte – Expansão Samambaia)
Poetas: Domício Chaves, Chico Repentista e Cumpadi Ancelmo
Música: Taleta de Bambu.

Deixe o seu comentário