Bombeiros do DF desenterram mala com corpo de jovem esquartejado

0

A vítima foi cercada, espancada e sofreu diversas perfurações pelo corpo com tesoura e canivete. Depois, agonizava quando sofreu mais golpes
PCDF/DIVULGAÇÃO

CARLOS CARONE

carlos.carone@metropoles.com

Investigadores da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) ainda juntam as últimas peças para esclarecer um crime brutal no Itapoã. Um homem identificado como Danilo teve o corpo esquartejado, colocado dentro de uma mala e enterrado, entre a noite de sexta-feira (29/05) e a madrugada de sábado (30/05). Quatro suspeitos foram identificados e três acabaram presos em flagrante. Na DP, tanto os detidos quanto testemunhas ouvidas narraram a frieza dos suspeitos, como o fato de eles terem ido comer pizza após assassinar a vítima com requintes de crueldade.

De acordo com os depoimentos colhidos na unidade policial, Danilo (sobrenome ainda não identificado), de 19 anos, estava em uma festa regada a drogas e álcool na casa de um dos acusados pelo crime, identificado como Josimar da Penha Santos, 33 anos. No local, se divertiam também os outros suspeitos — João Paulo Fonseca Sousa, 22, Wemerson da Penha Batista, 26, e Adrian de Oliveira da Silva, 19. No imóvel, estava ainda um grupo de mulheres e homens, que não participou do homicídio.

DISTRITO FEDERAL

Homem é morto, esquartejado e tem corpo enterrado em mala no DF

João Paulo contou aos policiais que a festa ocorria na casa de Josimar, mais conhecido como Coroa, na região do Itapoã. No local, havia consumo de drogas como LSD, cocaína, maconha e rohypnol. No decorrer do evento, houve uma confusão entre Danilo e Josimar. O pivô do desentendimento seria a namorada de Josimar, que estava na festa. A vítima foi cercada, espancada e sofreu diversas perfurações pelo corpo, com tesoura e canivete.

Machadinha que teria sido usada no crimeDivulgação

Corpo é achado dentro de mala na região do ItapoãDivulgação/PCDF

Vaso sanitário achado no lugar onde corpo foi achadoDivulgação/PCDF

Bombeiros fizeram a escavação em apoio à Polícia Civil

Corpo estava dentro da malaCorpo de Bombeiros/Divulgação

Bombeiros fizeram escavação em área erma do ItapoãReprodução/Vídeo

Corpo de Bombeiros fez a escavação no localReprodução/Vídeo

Machadinha que teria sido usada no crimeDivulgação

Corpo é achado dentro de mala na região do ItapoãDivulgação/PCDF

1
Morte agonizante

Ainda de acordo com o depoimento do autor, a vítima ainda agonizava quando o grupo resolver “acabar com o sofrimento” dela. Segundo o termo de declaração de João Paulo, os criminosos deram novos golpes em Danilo, até ele que morresse. Em seguida, Josimar sugeriu que o grupo “desaparecesse” com o corpo. Então, teve início um ritual macabro de revezamento para que o cadáver fosse esquartejado o mais rápido possível.

A ação ocorreu no banheiro da casa e uma machadinha foi usada para desmembrar a vítima. O corpo de Danilo foi cortado ao longo de toda a noite, depois colocado dentro de uma mala.

Já na manhã seguinte, o grupo foi até um terreno nos fundos do Fórum do Itapoã, onde abandonaram a mala. Preocupados, os suspeitos retornaram ao local mais uma vez, para enterrar a mala, já na manhã de domingo (31/05).

Na mesma tarde, todos se reuniram para comer uma uma pizza e tentar fazer um pacto de silêncio a fim de manter o crime em sigilo. No entanto, as informações chegaram até policiais da 31ª DP (Planaltina), que acionaram os investigadores na unidade do Paranoá.

Entre os presos, Wemerson, que está foragido e é irmão de Josimar, vai responder por outros crimes — roubo de uma bicicleta e a posse de munição calibre .380.

PARANOÁRODOVIÁRIAPCDFESQUARTEJAMENTO

Deixe o seu comentário