Bolsonaro descarta ideia de congelar aposentadorias e “mata” Renda Brasil

0

Presidente ameaçou “cartão vermelho” para quem defender a ideia do congelamento no governo federal

ATUALIZADO 15/09/2020 11:30

Presidente e autoridades brasil fazem coletiva no alvorada para falar de economia do BrasilHUGO BARRETO/METRÓPOLES
Opresidente Jair Bolsonaro (sem partido) descartou nesta terça-feira (15/9) a possibilidade de congelar aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por dois anos para criar o programa Renda Brasil.

Sem citar nominalmente o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, o chefe do Executivo disse: “Quem porventura vir a propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”.

“É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento para com os aposentados do Brasil”, afirmou o presidente da República, em vídeo publicado nesta manhã em uma rede social.

1

“Pode ser que alguém da equipe econômica tenha falado desse assunto, mas por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados e jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja”, complementou.

A ideia apresentada por Waldery Rodrigues, em entrevista ao portal G1, é congelar as aposentadorias e pensões para abrir espaço no Orçamento de 2021 ao Renda Brasil, programa assistencial que viria a substituir o Bolsa Família. Bolsonaro, no entanto, disse que falar em Renda Brasil, ao menos até 2022, é assunto proibido.

“E a última coisa: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa família e ponto final”, finalizou, no vídeo. Assista:

Irritado com a ideia colocada pela equipe econômica, Bolsonaro convocou, às pressas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, para dar explicações sobre a origem do projeto. Guedes iria participar, às 9h, de um painel sobre telecomunicações, com o tema “Um mundo transformado pela pandemia”, mas adiou a participação.

“Quero justificar um pequeno atraso que nós tivemos na nossa programação de hoje, pois o ministro Paulo Guedes, que estaria conosco às 9h, foi convocado de última hora pelo presidente da República, o que mudou um pouco a nossa agenda, mas eu quero informar aos nossos participantes que o ministro Paulo Guedes estará conosco aqui, hoje, a partir do meio-dia”, disse o mediador da atração.

Deixe o seu comentário