Áreas públicas são limpas e cercadas em Ceilândia

0

Áreas públicas são limpas e cercadas em Ceilândia
A ação tem o objetivo de coibir o descarte irregular de lixo e entulho, além de combater a proliferação do mosquito transmissor da dengue

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
Para evitar o descarte irregular de lixo e, consequentemente, a proliferação do mosquito transmissor da dengue, a Administração Regional de Ceilândia e a Agência de Desenvolvimento de Brasília (Terracap) estão limpando e cercando áreas públicas na região. Cinco lotes já receberam a ação (confira abaixo) e a previsão é de que até o primeiro semestre deste ano mais sete terrenos também sejam contemplados com a medida.

Nesta quarta-feira (13), foi a vez da QNM 15 e QNN 12. Ao todo, foram recolhidas 30 toneladas de entulho. O administrador da cidade, Marcelo Piauí, explica que foi feito um mapeamento para identificar grandes áreas que serviam como lixões. “Diariamente limpamos essas áreas, mas acabam sujando novamente. Contamos com o apoio da população para manter os lotes limpos e denunciar aqueles jogam lixo em locais indevidos”, reforça.

A administração alerta que quem for pego sujando área pública poderá ser encaminhado à delegacia e responder por crime ambiental, conforme legislação vigente. A multa pode variar de R$ 114 a R$ 11 mil. A fiscalização também contará com o apoio da Polícia Militar e do DF Legal. Para denunciar, basta registrar uma manifestação no site da ouvidoria ou ligar, gratuitamente, para o número 162.

Morador de Ceilândia, Pedro Teixeira, 25 anos, lembra que a cena de terrenos com acúmulo de lixo é corriqueira na cidade. “Os moradores simplesmente ignoram o fato de que a própria população será prejudicada pelos efeitos do descarte irregular de entulho em local proibido”, comenta. Para o advogado, a ação dos órgãos do GDF é necessária e eficaz, mas a comunidade precisa ter mais consciência.

Cercamento diferente

O diretor de Regularização Social e Desenvolvimento da Terracap, Leonardo Mundim, ressalta que o cercamento feito pelos funcionários da agência é diferente do tradicional. “Estamos fazendo o distanciamento entre os mourões – estacas que sustentam a cerca – de um metro, o que dificulta a entrada com qualquer tipo de veículo dentro do terreno”, explica.

Segundo com Mundim, a ideia é continuar desenvolvendo essa ação em outras regiões da capital. “Estamos cercando áreas prioritárias, de acordo com a indicação da administração. Com esse trabalho vamos preservar a saúde da população e melhorar o embelezamento da cidade”, comenta. Os lotes devem ser incluídos em processos de licitação ou disponibilizados para o uso de equipamentos públicos.

Esforços do governo

Além da coleta realizada todos os dias pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU), os cerca de 500 mil habitantes de Ceilândia contam com a maior oferta de Papa Entulho, três ao todo. Desde janeiro deste ano, o GDF reúne esforços para manter a cidade asseada por meio do programa Ceilândia Limpa com o apoio da administração, SLU, Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Defesa Civil e Secretaria de Saúde.

GALERIA DE FOTOS

Deixe o seu comentário